jan 272010
 

Enquanto mãe…

Eu abro mão de sonhos, sentimentos e de qualquer coisa afim da felicidade da minha filha. Sou mãe solteira e encho a boca pra dizer isso porque fazer feliz sozinha uma filha nesse mundão de meeeeooooDeeeeeoooos não é fácil, é tipo rapadura sabe, doce e dura mas até que dou conta do recado direitinho, não sou perfeita as vezes piso na bola mas la na frente faço um GOOOOOOOOOOOOL as vezes com direito a replay.

Porque eu to dizendo esse montão de coisas eu nem sei, na verdade eu nem ia dizer necessariamente isso tudo, mas é que ando numa saudade doida de escrever que to escrevendo até em parede.

O que eu ia dizer é que assim sabe to meio perdida, mas espera ai que vou me achar.

Então… Nunca proibi o relacionamento da minha filha com o pai dela, o começo foi turbulento, foi difícil, ela não queria, ele não se esforçava, depois ela não queria, eu me esforçava e ele nada. Mas nesses 4 anos nunca apaguei a figura do Pai, sempre mantive viva em doses homeopáticas, nunca me neguei de responder nenhuma das perguntas delas, sempre gostei de deixar as coisas bem definidas e com alguns pontos primordiais e alguns deles são:

• O que você quiser saber sobre seu pai, pergunte sem medo.

• Se quiser ver seu pai é só me dizer, que da minha parte farei o possível, mas se eu não conseguir, não fique triste, não olhe para trás, olhe apenas para frente.

• Se quiser falar com seu pai me diga, que eu posso tentar fazer a conexão entre vocês.

• Se tiver alguma duvida em algum momento me pergunte por que eu sempre vou te responder. E se não é o que você gostaria de ouvir eu sinto muito filha, mas é a verdade e você precisa aprender a conviver com elas desde cedo. (claro que em doses homeopáticas)

Enfim… eu sempre deixei a porta aberta, sempre trabalhei muito esse lado dela e ela nunca me deu trabalho com isso, ela é sem pesos e sem traumas, confesso que isso me enche de orgulho mas ela vai crescer e hoje o que são “pequenas” coisas poderão ter grandes proporções no futuro (ou não) mas sempre achei melhor prevenir. Na quinta ela perguntou se podia chamar o pai dela pra feirinha da escola eu fiquei surpresa, então mandei uma msg, mas só tive retorno no dia seguinte quando já tinha passado a feira, pra compensar o pai dela teve a melhor das atitudes (oi?), marcou um passeio com ela e eu levei, ela curtiu muito o passeio, o irmãozinho, o tio. Ganhou presente, conheceu a biblioteca publica, ficou na Bienal, jogou bola com o tio… e enche a boca pra falar o irmão, que o irmão é lindo, que gostou de ter ido passear comigo, com o pai e com o tio.

Nada apaga as turbulências, as vezes que liguei pra falar sobre ela e ele não atendeu, os emails não respondidos, as vezes que ele mentiu pra ela, os conflitos, as dificuldades, mas antes um passo a frente do que dois para trás.

Porque estou dividindo isso com você???

Porque muitas vezes vale deixar os desafetos de lado, deixar pra outra hora coisas que as crianças ainda não entendem e fazer cara de paisagem.

Porque ver um filho feliz é impagável!!!!

Leia também :

  • Mas ela nunca perguntou pelo pai? Sim. A curiosidade é ...

  • Hoje conheci uma mãe que não deixa seu filho de 3 anos n ...

  • Dia dos pais é quase que um bicho papão para quem é mãe ...

Fernanda Ramalho

Mãe, Publicitaria, Acreana do pé rachado, Louca por fotografia, Mulher, Completa, especialista em limpar vomito e bumbum de nenem. Também sou ponto de referência. Sim "logo ali depois daquela gordinha" mas isso vai mudar coloquei o balão intragastrico dia 8 de Junho e em 7 meses eliminei 39 kilos mas ainda não atingi minha meta portanto continuo em pleno processo de emagrecimento e ainda no ano de 2011 irei para o segundo balão intragastrico.

 Leave a Reply

(requerido)

(requerido)

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

   
© 2012 Brindo à vida Suffusion theme by Sayontan Sinha