jan 272010
 

A mamãe é Publicitaria.

E a criança é a alma do négocio.

Já defendi uma tese com esse tema e desde então tenho trabalhado calada em cima disso e quem sabe num futuro distante esse mesmo tema se torne um livro.

Eu acho um absurdo como a publicidade é capaz de invadir o universo de uma criança, a publicidade viola o direito da criança brincar, o direito da criança ser criança.

As crianças passam mais tempo na frente da TV do que brincando e isso nos dias de hoje é “natural” em uma determinada época proibi minha filha de assistir a TV fechada porque 90% das propagandas dos canais permitidos para minha filha são ligadas ao desejo de consumo, ao incentivo de desejo de consumo das crianças. Um desejo que não é natural, nem instintivo é um desejo artificial e prejudicial. Vi minha filha pedindo coisas que não posso dar a ela e ela pedia como se fosse minha obrigação dar a ela tudo que aparecia na televisão, como se fosse uma forma dela se sentir incluída no meio social. Até ela compreender que nem tudo que passa na televisão faz parte do nosso estilo de vida, que nem tudo que está ali enchendo os olhos dela é essencial pra vida dela, ela ficou proibida de assistir TV fechada, a TV aberta é um caso que não preciso nem estender comentários é tão poluída quanto então decidi que a prioridade seriam os DVDs, jogos educativos e muita psicologia de mãe falida e foi assim que ela compreendeu que muitas coisas existem mas que nem todas são importantes.

A publicidade age exatamente assim ela cria conceitos e valores e através da publicidade foi criado um conceito e um valor mesquinho de que você é, o que você tem. Eu não concordo, mas e daí que eu não concordo com esse conceito?? Vivemos num mundo onde todos os nossos desejos são gerados através da publicidade e nós não temos culpa, o nosso cérebro quer tudo que cause prazer, bem – estar, até mesmo uma falsa sensação de “eu sou” porque uso tal marca.

O exemplo mais claro é a paixão dos homens por: Carros, Cerveja e Futebol.

É só olhar o que tem nesse tipo de propaganda: Uma mulher gostosona.

Nós pais perdemos autoridade para a publicidade, porque eu assumo como é difícil tirar minha filha da frente da televisão e o que posso fazer é escolher a programação menos ofensiva. Porque nós pais ficamos entre a violação dos desejos de consumo dos nossos filhos e a violência que ronda nossa cidade, nosso bairro, nossa casa…E por causa da violência de certa forma nos sentimos mais seguros ao ver nossos filhos assistindo televisão.

O incentivo ao desejo, ao consumismo deveria ser considerado crime, as campanhas publicitárias usam as crianças que tem o cérebro como canal aberto para todas as mensagens, a criança é um receptor em potencial para poder atingir os pais, elas se transformam em mensageiros em potencial também. Porque quem compra são as crianças?? Não. Claro que não!!! Quem compra somos nós os pais.

Temos que ficar de olho, que ter consciência porque o caos já está formado.

Hoje recebi de um amigo o trailer de um documentário chamado: “Criança, a alma do negócio.”

E pode ter certeza que vou trabalhar muito depois de assistir o documentário completo.

¹. Desculpaê os erros de português, só escrevi e publiquei, não deu tempo de corrigir nada. to lesada esqueci de levar o carnê da escola da Gabi cedo e agora to indo lá pagar.

Leia também :

  • Você sabe  o que seu filho faz  online? Você ensina s ...

  • Caminhos da Infância A Comissão de Defesa do Consumidor ...

  • Tenho uma filha de 5 anos. Já dei algumas palmadas nela ...

Fernanda Ramalho

Mãe, Publicitaria, Acreana do pé rachado, Louca por fotografia, Mulher, Completa, especialista em limpar vomito e bumbum de nenem. Também sou ponto de referência. Sim "logo ali depois daquela gordinha" mas isso vai mudar coloquei o balão intragastrico dia 8 de Junho e em 7 meses eliminei 39 kilos mas ainda não atingi minha meta portanto continuo em pleno processo de emagrecimento e ainda no ano de 2011 irei para o segundo balão intragastrico.

 Leave a Reply

(requerido)

(requerido)

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

   
© 2012 Brindo à vida Suffusion theme by Sayontan Sinha