jan 272010
 

Produção Independente.

Lendo o Blog Desabafo de Mãe que falava sobre produção independente eu resolvi escrever e estender o assunto aqui também o que eu pensava e o que eu penso a respeito desse assunto porque eu como muitas mulheres também pensava em ter uma produção independente se por acaso eu não encontrasse um marido (que por sinal não encontrei até hoje. Joga ovo na encalhada)rs. Mas os meus pensamentos eram mais apressados eu sempre dizia que teria um filho antes dos 24 anos. Quando um dia me vi grávida sem planejar, mas mesmo sem planejar eu desejava muito ter um filho e minha filha em meio a falta de planejamento ela vem de uma gravidez que foi muito amada, desejada e esperada por mim e por conta de todo esse amor, de todo esse desejo e mais ainda por toda a responsabilidade que a mim foi dada quando eu soube da minha gravidez eu não quis continuar com o pai da minha filha, porque ele não era e até hoje não é maduro o suficiente para ser Pai de verdade. Então para alguns eu estava vivendo uma produção independente, mas para mim não, para mim eu estava iniciando a maternidade sozinha por uma opção sensata e com uma enorme responsabilidade.

Antes de engravidar eu acreditava em produção independente depois da gravidez eu comecei a acreditar em outras coisas, pois vivo a maternidade sozinha, crio minha filha sozinha (com auxilio da minha mãe, pois o que recebo não consigo sustentar sozinha e isso não é nenhum pecado.), mas a responsabilidade maior e única é minha, de amar, educar, sustentar e criar… Sou mãe solteira, não reclamo nem me arrependo, pois foi opção minha e a melhor coisa que fiz na minha vida, mas pra mim produção independente seria se o pai não existisse mesmo, nem a figura dele. Mas pai existe desde que o mundo é mundo e a criança de vez em quando ou sempre (dependendo da criança) vai perguntar pelo pai, porque existe a figura paterna na sociedade e o pai é importante não adianta aquele discurso medonho de pai não é importante porque é sim, sou filha de pais separados convivi com meu pai por pouco tempo e ele foi importante pra mim. Se a criança pergunta pelo pai essa figura paterna existe e a dependência emocional e racional começa a existir na vida da criança. Mas quem defende a produção independente diz assim: “Eu comprei o sêmen não sei quem é o pai e não precisamos saber” mas só o fato de se procurar uma clinica especializada em reprodução humana demonstra a dependência da figura masculina/paterna que no momento não existe por vários motivos na vida da mulher que tem a compra do sêmen como opção. Não da pra anular essa figura porque o sêmen foi comprado ou foi de graça rs por uma questão de genética para ocorrer a reprodução da nossa espécie tem que ter troca de material infelizmente ou felizmente não somos seres assexuados, somos seres sexuados e precisamos desse vuco vuco da troca de material, de suor, de beijos e caricias (vixi empolguei ó). Então não da pra negar a existência de um pai, ter um filho e educar um filho sozinha não é fácil, mas também não é impossível. Prefiro acreditar na historia bem sucedida de quem cria e educa um filho sozinha do que num ato heróico de “produção independente”.



A correlação é inegável.

ps: afinal a Xuxa tentou né gente? Haha ela não conseguiu porque a genética, o amor e a responsabilidade falam mais alto. Pena que nem todo pai é sensato.

ps2: Se alguém falar que é a cara do pai eu prego na cruz e chicoteio 6789798654654 de vezes. hahaha

Leia também :

  • Hoje conheci uma mãe que não deixa seu filho de 3 anos n ...

  • “Cada um sabe a dor e a delícia de ser o que é” Há dia ...

  • A primeira vez em que a minha filha trouxe da escola a a ...

Fernanda Ramalho

Mãe, Publicitaria, Acreana do pé rachado, Louca por fotografia, Mulher, Completa, especialista em limpar vomito e bumbum de nenem. Também sou ponto de referência. Sim "logo ali depois daquela gordinha" mas isso vai mudar coloquei o balão intragastrico dia 8 de Junho e em 7 meses eliminei 39 kilos mas ainda não atingi minha meta portanto continuo em pleno processo de emagrecimento e ainda no ano de 2011 irei para o segundo balão intragastrico.

 Leave a Reply

(requerido)

(requerido)

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

   
© 2012 Brindo à vida Suffusion theme by Sayontan Sinha