As vezes a realidade, a pratica não condiz com a teoria das pesquisas cientificas.

Sempre ouvi falar que amamentação prolongada só faz bem, mas quando se fala em amamentação prolongada se fala daquela que vai além da amamentação exclusiva ate os 6 meses estendendo ate dois anos de idade.

Quando Gabriella nasceu tive muitos problemas para amamentá-la, fui mal orientada, ai depois tive a mastite, mas mesmo assim não desisti demorou para chegarmos no momento mágico da amamentação mas chegamos e consegui amamentá-la até demais pro meu gosto. Ela passou dos dois anos mamando e o pediatra que acompanhava ela na época não me orientou com relação a isso, eu sempre relatava a minha dificuldade de desmamar e o pediatra não dava atenção, ele dizia que mamar não fazia mal a ninguém. Mas tudo que é demais é prejudicial, tomei remédio pro peito secar e ele não secou (oi? Sou uma vaca leiteira) , passei varias coisas com gosto estranho no meu peito e nada de consegui desmamar a Gabriella. Ela chegou aos  4 anos mamando e eu achava isso um absurdo mas ela mamava de manha e a noite, só desmamou mesmo quando ela cresceu e eu com meu jeito maroto comecei a fazer “bulli” na minha própria filha, dizendo: Filha se teus colegas da escola ficarem sabendo que você mama eles irão rir de você; olha você já é uma mocinha e não precisa mais mamar. Em 6 meses de “bulli” consegui desmamar a Gabi e acredita que tive mastite? Nasci pra ser vaca mesmo ne?

Então eu pensei que quando o desmame fosse feito todos os problemas iriam acabar, mas que nada os problemas aumentaram porque ai Gabriella começou a ter uma ansiedade absurda e ao invés de mamar ela começou a querer comer compulsivamente, começou a substituir o acalento do colo para mamar com o acalento de mastigar comida e hoje Gabi vive na faixa de alerta entre sobrepeso e obesidade, claro que outros fatores colaboraram para o aumento do peso dela, como o corticóide, mas a amamentação prolongada (depois de dois anos) fez a porta se abrir.

Eu sei que eu poderia ter batido o pé e não ter dado mais de mamar depois dos dois anos, mas não fui bem orientada e não sabia disso tudo, o primeiro filho sofre ne?  Porque depois dessa experiência com a Gabi eu garanto que se um segundo filho eu tiver a amamentação não passará de dois anos.

A amamentação além de alimentar acalma, acalenta o bebe e como a Gabi deixou de mamar já grande ela ligou bem esse sentimento e transferiu ele para a comida, hoje a pequena vai ao psicólogo  para desvincular esse sentimento e também faz acompanhamento nutricional.

E o que eu quero dizer com esse post?

Que amamentar é uma sensação INCRIVEL! Indescritível!  E que não troco amamentação por mamadeira nenhuma é muito mais saudável amamentar, mas existe um limite e o pediatra tem a obrigação de orientar cada mãe quando chegar a hora do desmame, porque as vezes a criança nem vai sofrer tanto com o desmame mas a mãe vai…ah! Essa vai!! E pode ser ao contrario a mãe se sentir aliviada com o desmame (e isso não é pecado) e a criança sofrer muito, então é preciso uma orientação para desmamar a criança no momento certo e sem prejuízo.

Leia também :

  • Das fases que você já teve, essa é a que eu mais sinto ...

  • 06/06/2008 Para Gabriella. Minha menina não é que hoje ...

  •   Se tem uma epoca da minha vida que sinto saudade ...

Fernanda Ramalho

Mãe, Publicitaria, Acreana do pé rachado, Louca por fotografia, Mulher, Completa, especialista em limpar vomito e bumbum de nenem. Também sou ponto de referência. Sim "logo ali depois daquela gordinha" mas isso vai mudar coloquei o balão intragastrico dia 8 de Junho e em 7 meses eliminei 39 kilos mas ainda não atingi minha meta portanto continuo em pleno processo de emagrecimento e ainda no ano de 2011 irei para o segundo balão intragastrico.

  3 Responses to “Amamentação prolongada x Obesidade”

  1. Amamentei até os 8 meses e o desmamar graças a Deus foi bem tranquilo e por vontade da Bia mesmo.
    Mas tive uma prima q fazia horrores pra tentar fazer a filha dela parar de mamar, isso já com 2 anos e meio. Ela passava remédio, colocava faixas nos seios, até mesmo aquele produto q fica cor de violeta sabe? Só assim ela conseguiu.
    O Desmamar precisa ser orientado sim Fê, tô contigo e não abro.
    Beijos

  2. Oi Fernanda, sempre visito seu blog e já comentei mais do que hoje. Estou na torcida pra sua filhota ficar 100% e cheia de saúde! Tenho fé que Deus está cuidando de vcs e logo estará tudo bem.

    Sobre este post, eu discordo que só a amamentação prolongada gere dificuldades pra criança ou a mãe. Eu acredito profundamente na amamentação prolongada. Minha primeira filha mamou até 2 anos e 11 meses e meu 2º filho até 2 anos e meio mais ou menos. Ambos foram amamentados no peito exclusivamente até 6 meses e pararam de mamar porque já não estava bem para as duas partes. No caso da Flor, que mamou até 2 anos e 11 meses eu estava grávida e não me sentia bem amamentando, doía e fui conversando com ela, coloquei um bandaid no peito e falei que o peito estava doendo e não dava mais pra mamar.

    Dobrei a atenção e o carinho e em uma semana ela nem pedia mais. Foi uma transição tranquila, graças à Deus!

    É comprovado que a amamentação prolongada previne doenças e inclusive a obesidade. Pelo que conta, sua experiência não foi muito boa neste sentido e não estou dizendo que vc está errada, mas não queria deixar de comentar e falar de um outro lado, que dá certo.

    Concordo quando vc diz que é preciso mais orientação, é preciso mesmo porque é uma situação delicada, mas não vejo que depois de certo tempo é errado, a amamentação é boa quando mãe e filho gostam deste momento. Quando um dos lados já não está tão bem é preciso começar o processo de desmame.

    Como vc disse que sua filha começou episódios de compulsão após o desmame, pode não ter sido só porque mamou até 4 anos, mas vários outros fatores. Somos seres complexos.

    Peço desculpas antecipadas se em algum momento te ofendi com este comentário. não foi minha intenção. Pelo contrário, admiro muito sua força e gosto de vc.

    Fica com Deus,

    Carla.

  3. Oi, estou passando por isso. Meu filho tem 1 ano e 2 meses e ainda mama no peito, tadoro amamamentar, mas confesso que ás vezes fico irritada porque passo a noite toda com ele e depois tenho que acodar cedo. Nunca pensei nesse casa da obesidade… acho que terei que acelerar o processo de “desmamar” meu filho.
    Gostei no post! Beijos

 Leave a Reply

(requerido)

(requerido)

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

   
© 2012 Brindo à vida Suffusion theme by Sayontan Sinha